Ocitocina, o hormônio do amor

A ocitocina é também conhecida por hormônio do amor. Qualquer que seja a faceta do amor que consideremos, a ocitocina está envolvida. Ela está presente na formação de vínculo entre casais, e também na formação de vínculo entre mãe e filho. Ou seja, além de efeitos físicos, ela também tem efeito comportamental.

Continuar lendo “Ocitocina, o hormônio do amor”

A sinfonia do parto

O sistema hormonal do parto pode ser considerado uma orquestra – assim como cada músico tem uma participação e um tempo certo para que a música aconteça, cada hormônio age em seu próprio momento, em uma dosagem estritamente regulada pelo corpo, para que a sinfonia do nascimento ocorra perfeitamente.

Continuar lendo “A sinfonia do parto”

A hora de ouro, momento precioso para a mãe e para o bebê

Se tem uma coisa que me corta o coração, é ver um bebê ser separado de sua mãe, sem motivo, logo após o nascimento.

A mulher passa meses à espera de conhecer seu filho, suporta horas e horas de contrações, enfrenta o círculo de fogo, dá todas as suas forças para ter seu filho nos braços e quando finalmente chega o momento – puf! O pediatra leva a criança para longe.

Continuar lendo “A hora de ouro, momento precioso para a mãe e para o bebê”

Saiba quais são os benefícios do alho na gestação

Na feijoada, no frango a passarinho e no macarrão, o alho não pode faltar! Mas além de seu sabor inconfundível, o alho tem outras propriedades que o tornam um santo remédio, devido às aliinas, que são compostos sulfurados contidos no alho. Esses compostos, que dão o delicioso cheirinho do alho, também têm propriedades muito especiais que ajudam a todas as pessoas, mas de forma especial as gestantes.

Continuar lendo “Saiba quais são os benefícios do alho na gestação”

O nascimento de mais um filho, o renascimento de uma mãe – uma forma gloriosa de recomeçar

Quando descobri que estava grávida do Tomás, meu segundo filho, busquei um obstetra humanizado.

Não bastava um que aceitasse “tentar” o parto normal; tinha que rejeitar cesárea, a menos fosse indispensável. Tinha que deixar eu parir na posição que eu me sentisse mais confortável. Tinha que abominar a episiotomia. Essa obstetra foi a Dra. Lara Nahar: “Pode parir de ponta cabeça se você quiser”, ela me disse.

Continuar lendo “O nascimento de mais um filho, o renascimento de uma mãe – uma forma gloriosa de recomeçar”