A sinfonia do parto

O sistema hormonal do parto pode ser considerado uma orquestra – assim como cada músico tem uma participação e um tempo certo para que a música aconteça, cada hormônio age em seu próprio momento, em uma dosagem estritamente regulada pelo corpo, para que a sinfonia do nascimento ocorra perfeitamente.

Dentro deste tema, o obstetra Michel Odent contribuiu muito para a compreensão do complexo coquetel de hormônios do parto.

  • A ocitocina faz o útero contrair-se para que o bebê possa nascer, além de atuar na ejeção do leite materno. Contudo, ela também tem efeito comportamental, sendo chamada de hormônio do amor. Qualquer que seja a faceta do amor que consideremos, a ocitocina está envolvida.
  • Junta-se à ela, ao final do trabalho de parto, a prolactina, o hormônio da maternidade, que dará início à amamentação.
  • Durante e imediatamente após o parto, mãe e bebê produzem endorfinas, que são como um sistema de recompensa: trazem um grande sensação de bem estar e ajudam a estabelecer o começo do apego e do vínculo mãe e filho.
  • Mesmo a adrenalina, relacionada com comportamentos agressivos e respostas de luta ou fuga, tem um papel importante em determinado momento do parto, ajudando a mãe a se manter ativa e atenta ao nascimento.

Todos os hormônios citados acima têm o momento e a intensidade correta para atuar durante o parto. Além disso, eles também podem ser influenciados pelo ambiente em que a mulher está, por particularidades físicas e psicológicas da mulher, e pela forma como ela é tratada. Ou seja, em algumas condições, eles poderão atuar de uma forma ótima.

Quando se deixa a fisiologia atuar, os hormônios agem e promovem o nascimento de modo perfeito, mais perfeito que qualquer máquina criada pelo ser humano.

Vejo todo esse processo como um desejo do Criador de reforçar o amor (que é espiritual) também em nossos corpos, na matéria. No parto fica evidente como essas duas naturezas andam juntas: ao amor e à alegria espiritual pelo nascimento de um filho, pela própria vida que foi gerada e que vem ao mundo, junta-se a intensa emoção física, vinda da ação dos hormônios no corpo, formidável maquinismo feito pelo grande Artesão.

A sensação de dar à luz é única.

Nos próximos textos, continuarei a falar sobre a atuação específica de cada um dos hormônios no processo de parto, e as dicas para que a parturiente possa otimizar o efeito desses hormônios de forma que seu parto siga do modo mais tranquilo possível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s